Arquivo da tag: resenhas de filmes

*Especial de Resenhas pós-Oscar 2017* – 5. Hacksaw Ridge 6. Lion 7. Passengers

Dando continuidade as resenhas dos filmes indicados com esse especial pós-Oscar 😉
5. Hacksaw Ridge em português como "Até O Último Homem"

Sinopse: “Durante a Segunda Guerra Mundial, o médico do exército Desmond T. Doss se recusa a pegar em uma arma e matar pessoas, porém, durante a batalha de Okinawa ele trabalha na ala médica e salva mais de 75 pessoas, sendo condecorado. O que faz de Doss o primeiro Opositor Consciente da história norte-americana a receber a Medalha de Honra do Congresso.” (via filmow.com)

Diretor: Mel Gibson

Opinião: Apesar de triste, as guerras sempre nos trazem filmes marcantes e emocionantes – principalmente estes baseados em fatos reais – e com Hacksaw Ridge não foi diferente.

A vida e bravura de Desmond T. Doss é realmente admirável! Com muito esforço, fé e positividade, ele salvou e com certeza marcou a vida de muitas pessoas – e não precisou usar uma arma e fazer exatamente aquilo que o seu país achava que seria o necessário para ajudar seus companheiros na guerra. Acredito que muitas pessoas tentaram ser opositores conscientes em guerras mas não tiveram sucesso em viver e contar sua história. A matança de uma guerra é algo desolador e triste porém conhecer alguém que conseguiu honrar seu país com outros meios é inspirador demais. O roteiro foi adaptado de maneira minuciosa e com os detalhes necessários, assim como a direção do filme.

Indicações ao Oscar: Melhor Filme, Melhor Diretor (Mel Gibson), Melhor Ator (Andrew Garfield), Melhor Edição, Melhor Edição de Som e Melhor Mixagem de Som.

Trailer: 

Nota: 

6.  Lion em português como "Lion: Uma Jornada Para Casa"

Sinopse: “Quando tinha apenas cinco anos, o indiano Saroo (Dev Patel) se perdeu do irmão numa estação de trem de Calcutá e enfrentou grandes desafios para sobreviver sozinho até ser adotado por uma família australiana. Incapaz de superar o que aconteceu, aos 25 anos ele decide buscar uma forma de reencontrar sua família biológica.” (via filmow.com)

Diretor: Garth David

Opinião: Esse filme tocou meu coração de uma forma muito singela e emocionante. A história de Saroo é linda demais! Cheio de coragem, sonhos e amor por sua família, ele passa por tantas coisas na vida que é até um certo milagre ele ter sobrevivido.

A realidade é que isso acontece muito, todos os dias, e não só na Índia mas em muitas outras grandes metrópoles. Crianças perdidas e que infelizmente topam com pessoas que não estão dispostas a ajudar e sim em tornar aquilo algo lucrativo. A sorte de Saroo, por um lado, foi ter sido acolhido por um família com tanto amor e boas intenções, que realmente adotaram uma criança para dar a ela a chance de uma vida digna e feliz. As atuações estavam magníficas, em todas as partes do filme.

Sinceramente acredito que todos vocês deveriam assistir esse filme e se surpreender 😉

Indicações ao Oscar: Melhor Filme, Melhor Ator Coadjuvante (Dev Patel), Melhor Atriz Coadjuvante (Nicole Kidman), Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia e Melhor Trilha Sonora.

Trailer:

Nota: 

7. Passengers em português como "Passageiros"

Sinopse: “Uma nave espacial transporta milhares de pessoas para um planeta colônia, que tem uma avaria em uma de suas câmaras de sono. Como resultado, um único passageiro é despertado 90 anos antes de qualquer outra pessoa. Diante da perspectiva de envelhecer e morrer sozinho, ele finalmente decide acordar um segundo passageiro, marcando o início do que torna uma história de amor única.” (via filmow.com)

Diretor: Morten Tyldum

Opinião: A sinopse na verdade é um pouco equivocada já que o filme não se trata só de uma história de amor mas também de uma luta por sobrevivência e várias outras mensagens que entendi com o passar da história. Essa ideia de estar sozinho no meio da galáxia, viajando há mais de 90 anos é muito assustadora – e é nesse clima que o filme se desenrola.

O detalhe dos personagens terem se apaixonado é um tanto óbvio: os dois são realmente bonitos e eles estavam sozinhos, sabendo que aquela era a única vida que restava para eles.

Em resumo o filme não traz novidades para o gênero e o final fica explicitamente óbvio com o decorrer da história. Não foi dessa vez que mais um filme da Jennifer Lawrence me faz gostar mais dela 🤔

Indicações ao Oscar: Melhor Design de Produção e Melhor Trilha Sonora.

Trailer:

Nota: 

  • Já assistiram algum dos filmes citados aqui? Se sim, me contem nos comentários as suas impressões e opiniões 😃

Beijos e um ótimo final de semana! ❤️

 

 

*Especial de Resenhas Oscar 2017* – 3. Jackie 4. Fences

3. Jackie 

Sinopse: “Jacqueline Kennedy (Natalie Portman), inesperadamente viúva, lida com o trauma nos quadro dias posteriores ao assassinato de seu marido, o então presidente dos Estados Unidos John F. Kennedy.”

Diretor: Pablo Larraín

Opinião: O filme Jackie é totalmente sobre uma belíssima atuação de Natalie Portman. Não sei se já contei para vocês por aqui – mas eu sou MUITO fã da Natalie. Eu confesso: assisti o filme por ela.

A Natalie tem algo sobre se jogar de cabeça em um personagem, se entregar de corpo e alma. Transparecendo nitidamente todas as emoções da Jacqueline – principalmente nas primeiras horas após o assassinato de seu marido. O figurino do filme é muito marcante, seguindo fielmente a época dos anos 50 e 60.

Porém o filme em si não tem nada que nos prenda ou faça ser inesquecível. É bem dirigido, tem boas atuações e fica por isso.

Indicações ao Oscar: Melhor atriz (Natalie Portman), Melhor figurino e Melhor trilha sonora.

Trailer: 

Nota: 

4. Fences em português como Um Limite entre Nós

Sinopse: “Baseado na aclamada e premiada peça teatral homônima, um jogador de beisebol aposentado (Denzel Washington), que sonhava em se tornar um grande jogador durante sua infância, agora trabalha como coletor de lixo para sobreviver. Ele terá de navegar pelas complicadas águas de seu relacionamento com a esposa (Viola Davis), o filho e os amigos.”

Diretor: Denzel Washington

Opinião: Ao começar a assistir o filme e adentrar na história de Troy – que sofreu muito preconceito durante sua infância e adolescência e com isso se tornou um homem frio – notei que se tratava de uma peça teatral: os diálogos são super longos e cansativos.

Acredite, não estou querendo falar mal de teatro aqui. Só acho que muitas peças não se encaixam para dentro do tempo limitado e estruturado de um filme.

Foi por esses diálogos arrastados e cansativos que não gostei do filme. As atuações foram boas mas nada digno de Oscar e todo o resto também não acrescentou nada de muito especial ao filme. Outra coisa que tornou o filme tedioso foi o cenário, que não possui muitas mudanças – que talvez traria mais vida no desenrolar da história.

Indicações ao Oscar: Melhor filme, Melhor ator (Denzel Washington), Melhor atriz coadjuvante (Viola Davis – Venceu) e Melhor roteiro adaptado.

Trailer: 

Nota: 

– Pessoal, mesmo que a cerimônia do Oscar  já aconteceu no domingo (26/02), eu vou continuar atualizando esse especial dos filmes indicados pois acho que vale a pena repassar essa experiência aqui. Vou atualizar na parte das indicações se o filme citado ganhou algum prêmio. Espero que vocês continuem acompanhando 😉

Beijos e aproveitem o carnaval e feriado! ❤️️

*Especial de Resenhas Oscar 2017* – 1. Arrival 2. Moonlight

Respeitável público! A partir de hoje teremos resenhas dos filmes indicados as premiações do Oscar 2017!

Estão animados? Eu estou! 😄😄

Quando olhei a lista de indicações do Oscar 2017 me interessei muitos por quase todos os filmes, sério. Isso foi até um certo milagre, pois nem sempre curto os estilos de filmes indicados para essa tão importante estatueta. E outra razão por estar fazendo isso é a curiosidade, haha, já que esses serão os filmes mais comentados por todos a partir de agora.

1. Arrival em português como A Chegada

                        “Por que eles estão aqui?”

Sinopse: “Quando seres interplanetários deixam marcas na Terra, a Dra Louise Banks (Amy Adams), uma linguista especialista no assunto, é procurada por militares para traduzir os sinais e desvendar se os alienígenas representam uma ameaça ou não. No entanto, a resposta para todas as perguntas e mistérios pode ameaçar a vida de Louise e a existência de toda a humanidade.”

Diretor: Denis Villeneuve

Minha opinião: O filme contém um clima meio nostálgico e depressivo, com uma atmosfera misteriosa, sabe?

Eu confesso que fiquei com um pé atrás em como seria a aparência dos alienígenas, já que esse ponto é onde a maioria dos outros filmes pecam – porém, achei bem interessante a maneira que os retrataram em “Arrival”. Amy Adams fez um excelente trabalho, trazendo para dentro da tela uma doutora que acredita no que faz e que não desiste facilmente.

O filme é um mix de ficção científica, drama e mistério – que nos deixa com questionamentos muito humanos, tais como: Qual nosso objetivo? O que você faria se tivesse uma segunda chance? Não se engane achando que esse filme foca nos alienígenas, porque a grande descoberta dele tem a ver com a humanidade.

Indicações ao Oscar: Melhor filme, Direção, Fotografia, Mixagem de Som, Edição de Som, Direção de Arte, Roteiro Adaptado e Edição.

Trailer: 

Nota: 

2. Moonlight em português como Moonlight: Sob a Luz do Luar

                         “Esta é a história de uma vida.”

Sinopse: “Black (Trevante Rhodes) trilha uma jornada de autoconhecimento enquanto tenta escapar do caminho fácil da criminalidade e do mundo das drogas de Miami. Encontrando amor em locais surpreendentes, ele sonha com um futuro maravilhoso.”

Diretor: Barry Jenkins

Minha opinião: O filme é dividido em 3 atos – infância, adolescência e vida adulta de Chiron, junto com a difícil realidade que ele teve que enfrentar durante todos os dias.

Ele sempre sofreu vários tipos de preconceitos mas os principais eram por ser gay e por ter uma mãe com forte dependência química. Tenho que dizer que os atores que interpretaram Chiron, principalmente na infância e adolescência fizeram um trabalho sensacional.

Na escola as pessoas não o aceitavam, em casa tinha que conviver com a difícil personalidade da mãe porém no início do filme ele faz amizade com Juan, que é traficante mas isso não faz com que ele deixe de ensinar boas coisas para Chiron, principalmente sobre o que ele terá de enfrentar na vida. Na adolescência, que foi a parte mais difícil, ele enfrentou dilemas mais complexos e teve que lidar com muita violência – ao mesmo tempo em que tem importantes descobertas sobre sua própria sexualidade.

Moonlight nos passa mensagens sobre a relação do ser humano consigo mesmo e a necessidade de viver em harmonia com as escolhas que fazemos e o estilo de vida que levamos. O filme tem algumas partes lentas em determinadas cenas de diálogos que no final nos passa despercebidos já que estamos na torcida e expectativa de assistir os próximos passos de Chiron.

Indicações ao Oscar: Melhor filme, Direção, Atriz Coadjuvante (Naomie Harris), Ator Coadjuvante (Mahershala Ali), Fotografia, Trilha Sonora, Roteiro Adaptado e Edição. Moonlight recebeu o globo de ouro em 2017 como Melhor Filme de Drama.

Trailer: 

Nota: 

  • Já assistiram a algum dos filmes indicados? Quais suas opiniões? 😃 Me contem tudo nos comentários!

Beijos e um ótimo final de semana ❤️️

 

 

 

 

 

Last Week Plays: Fracture, Return to Sender e muito mais!

Olá! Tudo bem com vocês? 😀

Mais uma semana começando e vou confessar que está sendo difícil manter os posts de “Last Week Plays” pois o tempo passa voando… Quase impossível acompanhar, né?! Logo é Natal, kkk 😲

Essa semana foi bem light – não fiquei assistindo muita coisa, pois estou trabalhando em novos projetos e atrás de novas possibilidades de trabalhos aqui para o blog também! *cheirinho de novidade* 😍

  • Os filmes da semana que passou foram:
um-crime-de-mestre
Sinopse: “Willy Beachum (Ryan Gosling) é um jovem e ambicioso promotor público, que está no melhor momento de sua vida profissional. Ele tem 97% de vitória nos casos em que atuou e está prestes a assumir um cargo na famosa agência Wooton Sims. Porém, antes de deixar o cargo de promotor ele tem um último desafio pela frente: Ted Crawford (Anthony Hopkins). Após descobrir que sua esposa o estava traindo, Ted a matou com um tiro na cabeça. Parecia um caso simples, já que era um crime premeditado e com uma confissão clara, mas Ted cria um labirinto complexo em torno do caso de forma a tentar sua absolvição.”

Opiniões/Críticas: Como já era de se esperar, um filme com Anthony Hopkins que me prendeu ao caso de início ao fim. Com sua performance sádica, vingativa e minimalista, Ted nos deixa cheio de curiosidade sobre suas ações. Do outro lado, lutamos e tentamos montar o quebra cabeça junto com Willy, que é cheio de garra e determinação – e odeia perder. O desenrolar do filme tem um ritmo ótimo, com mistério na medida certa. O filme tem bastante momentos em julgamento, mais não deixa de nos manter na expectativa pois é lá que temos as surpresas e reviravoltas de ambos os personagens.

“Matei minha esposa. Agora prove.”

Nota: nota-8

Sinopse: ""Return to Sender" narra a história de uma enfermeira que é brutalmente estuprada por um homem misterioso (Shiloh Fernandez). Após sua prisão, ela começa a enviar cartas para ele na prisão, mas todas são devolvidas. Determinada a confrontá-lo, ela então começa a visitá-lo regularmente na prisão e, aparentemente, faz amizade com ele, contra a vontade de seu pai (Nick Nolte). Incapaz de compreender as intenções de sua filha, ele teme pela segurança dela quando o seu agressor for liberado da prisão."
Sinopse: “”Return to Sender” narra a história de uma enfermeira que é brutalmente estuprada por um homem misterioso (Shiloh Fernandez). Após sua prisão, ela começa a enviar cartas para ele na prisão, mas todas são devolvidas. Determinada a confrontá-lo, ela então começa a visitá-lo regularmente na prisão e, aparentemente, faz amizade com ele, contra a vontade de seu pai (Nick Nolte). Incapaz de compreender as intenções de sua filha, ele teme pela segurança dela quando o seu agressor for liberado da prisão.”

Opiniões/Críticas: O filme tem toda uma história intrigante, muito misteriosa que me encheu de dúvidas sobre se eu estava gostando do desenrolar da história ou não. Teve momentos que fiquei com raiva da personagem principal, outros fiquei chateada com o que ela tinha que passar, entre muitos outros sentimentos. Mais uma coisa é fato: esperei até o último momento para entender tudo, pois se você se precipita e coloca na sua cabeça que algo vai acontecer… pode acabar tendo uma bela surpresa no final 😏 A atriz Rosamund tem um talento natural de confundir a gente, né?!

“Ele escolheu o endereço errado.”

Nota: nota-6

instinto
Sinopse: “Earl Brooks (Kevin Costner) é um executivo de sucesso, marido e pai exemplar, filantropo generoso. Todos o consideram um pilar em sua comunidade, mas ele esconde um grande segredo: é um serial killer. Seus crimes são conhecidos como sendo do Assassino da Impressão Digital, sendo que ninguém tem idéia de qual seja sua identidade. Apesar de estar afastado do mundo do crime há algum tempo, a compulsão de Brooks em matar volta à tona devido ao seu alter ego (William Hurt), o qual considera ser o verdadeiro assassino. Porém ao realizar mais um assassinato Brooks comete um erro, sendo notado por um fotógrafo curioso (Dane Cook), que passa a chantageá-lo. Este crime também coloca em seu encalço a detetive Tracy Atwood (Demi Moore), que está obcecada em desvendar o caso.”

Opiniões/Críticas: Sempre tive curiosidade de assistir esse filme pois a capa dele me chama atenção, traz uma certa dúvida sobre o que realmente Mr Brooks tem a esconder. Em relação as atuações: trabalho maravilhoso entre Kevin Costner e William Hurt – uma sintonia notável e brilhante (as cenas que eles riam juntos eram as melhores), já Dane Cook não combinou nada com seu personagem, não conseguiu trazer a “esquizitisse” que precisava ter para o papel. Assim como Demi Moore não combina com detetive, muito menos uma durona… ela não parecia estar confortável naquele papel e nas situações. A trama do filme é ótima, porém deixou a desejar com esses detalhes que fazem muita diferença.

“O homem que tem tudo, tem tudo a esconder.”

Nota: nota-8

  • Músicas e vídeos diversos:

Músicas favoritas do novo álbum da ~diva britânica~ Adele são: Hello e When We Were Young ❤️

Trailer que o namorado me apresentou na semana e me deixou curiosa/ansiosa e com esperança de um filme novo e legal de zumbis:

Descoberta de um canal maravilhoso para aprender e aperfeiçoar mais a língua inglesa: Londres na Latinha, onde a Melissa e seu lindo sotaque britânico explica e ensina em vídeos divertidos palavras, pronúncias, expressões, etc… É pra se apaixonar:

  • O que vocês estão assistindo e ouvindo nos últimos dias? Me contem e deixem suas indicações nos comentários! Beijos 😘 😘
you're ugly too resenha

Last Week Plays: Consumed, The Monster of Mangatiti, etc.

Olá, gente linda 😃

Assisti uns filmes bem bacanas na semana passada e não poderia deixar de passar aqui pra vocês. Vamos para a listinha:

Sinopse: "Investigação de uma mãe sobre a doença de seu filho a leva para o mundo dos alimentos geneticamente modificados."
Sinopse: “Investigação de uma mãe sobre a doença de seu filho a leva para o mundo dos alimentos geneticamente modificados.”

Opiniões/Críticas: Eu gosto muito de assistir filmes e documentários com o tema de comida em relação a prevenção do que estamos realmente comendo, vegetarianismo, veganismo, etc. Consumed trouxe um mundo diferente para mim, pois nunca tive muito conhecimento em relação a alimentos geneticamente modificados e traz uma mensagem forte e até angustiante sobre o mundo dos rótulos e de que na grande maioria das vezes não sabemos o que estamos ingerindo. No Brasil existe essa lei relacionada a rótulos de alimentos e ingredientes: “Lei de Biossegurança (11.105/2005), que estabelece, em seu artigo 40: “Os alimentos e ingredientes alimentares destinados ao consumo humano ou animal que contenham ou sejam produzidos a partir de OGM [organismos geneticamente modificados] ou derivados deverão conter informação nesse sentido em seus rótulos, conforme regulamento” – porém nem tudo funciona da maneira correta e há várias discussões e tentativas de manipulação dessa lei (para favorecer empresas, claro). Enfim, o filme é muito bom, gente, vale a pena! Está disponível na Netflix!

Nota: nota-8

filme The Monster of Mangatiti
Sinopse: “Ao 19 anos de idade Heather Walsh aceita um emprego em uma fazenda no Vale do Mangatiti, mais ela não tem idéia que o paraíso vai se tornar um pesadelo. Esta história verdadeira que se passa na Nova Zelândia fala da terrível provação de Heather.”

Opiniões/Críticas: Uma escolha sábia do meu irmão para assistir no domingo, acabou trazendo essa história real emocionante para a minha vida. Senti um sofrimento enorme ao assistir os relatos de Heather… como se a vida de uma pessoa fosse sugada e a partir daqueles acontecimentos. Não posso dizer que a decisão dela foi errada, ao aceitar um emprego em um local distante pois isso é similar a um intercâmbio, mais eu não preciso explicar as decisões da Heather pois ela estava apenas tentando viver a vida de uma maneira adulta, com novas aventuras o que é perfeitamente normal. Porém, o que acontece com ela durante alguns meses de sua vida foi devastador, quase que inacreditável. Deixei vocês na curiosidade? O filme está disponível na Netflix, vale super a pena conferir.

Nota: nota-8

sinopse Joe
Sinopse: “Joe Ransom (Nicolas Cage) é um ex presidiário que vive preso ao passado. Afundado na bebida e amargurado com a vida, ele começa a trabalhar em uma madeireira durante o dia, procurando uma vida simples. Durante seu período de trabalho, ele encontra com Gary (Tye Sheridan), um jovem de 15 anos, que procura trabalho desesperadamente para conseguir sustentar sua família, e cujo pai é alcóolatra. Joe decide proteger e cuidar do menino, oferecendo-o um trabalho.”

Opiniões/Críticas: Palmas para um filme do Nicolas Cage que não lida com coisas paranormais ou fora de qualquer contexto da nossa imaginação 👏👏👏 Não fiquem chateados, mais eu meio que detesto os filmes do Nicolas pois tem temas nonsenses extremos (que nem tem graça). Em Joe, pude notar a boa atuação dele como um cara valentão e problemático – e posso dizer que ele conseguiu uma boa performance. É impossível não criar empatia por essa história de luta e superação do jovem Gary.

Nota: nota-7

resenha yves saint laurent 2014
Sinopse: “Paris, 1957. Com apenas 21 anos, Yves Saint Laurent (Pierre Niney) é chamado para se encarregar do futuro da prestigiosa grife de alta costura fundada por Christian Dior, falecido recentemente. Depois de seu primeiro desfile triunfal, ele vai conhecer Pierre Bergé (Guillaume Gallienne) e este encontro irá abalar sua vida. Amantes e parceiros de trabalho, os dois se associam a fim de criar a grife Yves Saint Laurent. Apesar de suas obsessões e demônios interiores, Saint Laurent vai revolucionar o mundo da moda com sua abordagem moderna e iconoclasta.”

Opiniões/Críticas: Visual do filme é bacana e entrar nessa cena da moda e toda a história envolvendo um nome tão importante é legal também – pois a gente gosta das modinhas mais nem sabe como essas coisas realmente nasceram né 😅 Porém teve cenas que achei que poderiam ser descartadas por não apresentar diferença ou trazer algo necessário para nosso conhecimento. Assim como MUITOS e MUITOS artistas, músicos, atores, etc com Yves não foi muito diferente: teve distúrbios mentais e muita droga envolvida, haha.

Nota: nota-5

you're ugly too resenha
Sinopse: “Após a morte de sua mãe, Stacey (Lauren Kinsella) muda-se com seu tio Will (Aidan Gillen) para uma região remota da Irlanda. Como os dois cautelosamente começam a conhecer um ao outro, eles têm de lidar com as sombras escuras do passado. Um personagem astuto conduzido na necessidade de recuperar o equilíbrio e se libertar, contado com uma boa dose de humor irlandês.”

Opiniões/Críticas: 🇮🇪 Filme irlandês na área 🇮🇪 Pra quem está indo pra lá ou tem curiosidade de ouvir o sotaque deles esse filme é ótimo 😉 #fikdik

Como já falei algumas vezes aqui, os filmes europeus tem me surpreendido muito e positivamente. No gênero drama, os atores e atrizes de lá tem atuado de maneira minimalista e nos envolvendo em todo o enredo, fazendo com que a gente sinta algo durante a experiência de conhecer as histórias fictícias ou reais. Sem contar que eu amo os lugares filmados em qualquer lugar da Europa (porque eu sou fã da Europa e pronto, me deixa ✋).

Nota: nota-7

  • Músicas que ficaram no play/repeat 🎵

vocês já viram a quantidade de caras gatos nesse clipe novo da Britney? imperdível 💗

  • Me contem nos comentários tudo que vocês andaram “curtindo” nas últimas semanas! 

Beijo 💋