Arquivo da tag: música

Playlist > Músicas favoritas de Abril.

Preparados para uma nova playlist? Essa é do mês lindo de abril, genteeee!

Digo que o mês de Abril foi babado porque fiz 24 anos, coisas super bacanas aconteceram e: começou oficialmente o outono (e o clima realmente mudou aqui na minha cidade). São motivos suficientes para uma playlist maravilhosa! 😎

  • Quais são as músicas que vocês recomendam para esse novo mês? Comentem! 😍

 

 

you're ugly too resenha

Last Week Plays: Consumed, The Monster of Mangatiti, etc.

Olá, gente linda 😃

Assisti uns filmes bem bacanas na semana passada e não poderia deixar de passar aqui pra vocês. Vamos para a listinha:

Sinopse: "Investigação de uma mãe sobre a doença de seu filho a leva para o mundo dos alimentos geneticamente modificados."
Sinopse: “Investigação de uma mãe sobre a doença de seu filho a leva para o mundo dos alimentos geneticamente modificados.”

Opiniões/Críticas: Eu gosto muito de assistir filmes e documentários com o tema de comida em relação a prevenção do que estamos realmente comendo, vegetarianismo, veganismo, etc. Consumed trouxe um mundo diferente para mim, pois nunca tive muito conhecimento em relação a alimentos geneticamente modificados e traz uma mensagem forte e até angustiante sobre o mundo dos rótulos e de que na grande maioria das vezes não sabemos o que estamos ingerindo. No Brasil existe essa lei relacionada a rótulos de alimentos e ingredientes: “Lei de Biossegurança (11.105/2005), que estabelece, em seu artigo 40: “Os alimentos e ingredientes alimentares destinados ao consumo humano ou animal que contenham ou sejam produzidos a partir de OGM [organismos geneticamente modificados] ou derivados deverão conter informação nesse sentido em seus rótulos, conforme regulamento” – porém nem tudo funciona da maneira correta e há várias discussões e tentativas de manipulação dessa lei (para favorecer empresas, claro). Enfim, o filme é muito bom, gente, vale a pena! Está disponível na Netflix!

Nota: nota-8

filme The Monster of Mangatiti
Sinopse: “Ao 19 anos de idade Heather Walsh aceita um emprego em uma fazenda no Vale do Mangatiti, mais ela não tem idéia que o paraíso vai se tornar um pesadelo. Esta história verdadeira que se passa na Nova Zelândia fala da terrível provação de Heather.”

Opiniões/Críticas: Uma escolha sábia do meu irmão para assistir no domingo, acabou trazendo essa história real emocionante para a minha vida. Senti um sofrimento enorme ao assistir os relatos de Heather… como se a vida de uma pessoa fosse sugada e a partir daqueles acontecimentos. Não posso dizer que a decisão dela foi errada, ao aceitar um emprego em um local distante pois isso é similar a um intercâmbio, mais eu não preciso explicar as decisões da Heather pois ela estava apenas tentando viver a vida de uma maneira adulta, com novas aventuras o que é perfeitamente normal. Porém, o que acontece com ela durante alguns meses de sua vida foi devastador, quase que inacreditável. Deixei vocês na curiosidade? O filme está disponível na Netflix, vale super a pena conferir.

Nota: nota-8

sinopse Joe
Sinopse: “Joe Ransom (Nicolas Cage) é um ex presidiário que vive preso ao passado. Afundado na bebida e amargurado com a vida, ele começa a trabalhar em uma madeireira durante o dia, procurando uma vida simples. Durante seu período de trabalho, ele encontra com Gary (Tye Sheridan), um jovem de 15 anos, que procura trabalho desesperadamente para conseguir sustentar sua família, e cujo pai é alcóolatra. Joe decide proteger e cuidar do menino, oferecendo-o um trabalho.”

Opiniões/Críticas: Palmas para um filme do Nicolas Cage que não lida com coisas paranormais ou fora de qualquer contexto da nossa imaginação 👏👏👏 Não fiquem chateados, mais eu meio que detesto os filmes do Nicolas pois tem temas nonsenses extremos (que nem tem graça). Em Joe, pude notar a boa atuação dele como um cara valentão e problemático – e posso dizer que ele conseguiu uma boa performance. É impossível não criar empatia por essa história de luta e superação do jovem Gary.

Nota: nota-7

resenha yves saint laurent 2014
Sinopse: “Paris, 1957. Com apenas 21 anos, Yves Saint Laurent (Pierre Niney) é chamado para se encarregar do futuro da prestigiosa grife de alta costura fundada por Christian Dior, falecido recentemente. Depois de seu primeiro desfile triunfal, ele vai conhecer Pierre Bergé (Guillaume Gallienne) e este encontro irá abalar sua vida. Amantes e parceiros de trabalho, os dois se associam a fim de criar a grife Yves Saint Laurent. Apesar de suas obsessões e demônios interiores, Saint Laurent vai revolucionar o mundo da moda com sua abordagem moderna e iconoclasta.”

Opiniões/Críticas: Visual do filme é bacana e entrar nessa cena da moda e toda a história envolvendo um nome tão importante é legal também – pois a gente gosta das modinhas mais nem sabe como essas coisas realmente nasceram né 😅 Porém teve cenas que achei que poderiam ser descartadas por não apresentar diferença ou trazer algo necessário para nosso conhecimento. Assim como MUITOS e MUITOS artistas, músicos, atores, etc com Yves não foi muito diferente: teve distúrbios mentais e muita droga envolvida, haha.

Nota: nota-5

you're ugly too resenha
Sinopse: “Após a morte de sua mãe, Stacey (Lauren Kinsella) muda-se com seu tio Will (Aidan Gillen) para uma região remota da Irlanda. Como os dois cautelosamente começam a conhecer um ao outro, eles têm de lidar com as sombras escuras do passado. Um personagem astuto conduzido na necessidade de recuperar o equilíbrio e se libertar, contado com uma boa dose de humor irlandês.”

Opiniões/Críticas: 🇮🇪 Filme irlandês na área 🇮🇪 Pra quem está indo pra lá ou tem curiosidade de ouvir o sotaque deles esse filme é ótimo 😉 #fikdik

Como já falei algumas vezes aqui, os filmes europeus tem me surpreendido muito e positivamente. No gênero drama, os atores e atrizes de lá tem atuado de maneira minimalista e nos envolvendo em todo o enredo, fazendo com que a gente sinta algo durante a experiência de conhecer as histórias fictícias ou reais. Sem contar que eu amo os lugares filmados em qualquer lugar da Europa (porque eu sou fã da Europa e pronto, me deixa ✋).

Nota: nota-7

  • Músicas que ficaram no play/repeat 🎵

vocês já viram a quantidade de caras gatos nesse clipe novo da Britney? imperdível 💗

  • Me contem nos comentários tudo que vocês andaram “curtindo” nas últimas semanas! 

Beijo 💋

Last Week Plays: It’s A Wonderful Life, High-Rise, +

Olá pessoal!

Primeiramente uma pequena explicação para esse post: o intuito é toda segunda-feira (ou no máximo terça) postar resenhas objetivas (aka não enroladas) das últimas coisas que assisti/ouvi/conheci na semana anterior. Aqui vai ter de tudo um pouco: filmes, séries, músicas, livros, vídeos, documentários, links aleatórios… Enfim, vai ter conteúdo bacana semanal pra gente interagir, sendo pra vocês conhecerem e acompanharem o que assisto, indicações, bate papo nos comentários e por aí vai 🙂

Então o “Last Week Plays” que nesse contexto significa os plays da semana passada vai ter entretenimento geral! 😀

  • Últimos filmes:
felicidade não se compra
Sinopse: “Em Bedford Falls, no Natal, George Bailey (James Stewart), que sempre ajudou a todos, pensa em se suicidar saltando de uma ponte em razão das maquinações de Henry Potter (Lionel Barrymore), o homem mais rico da região. Mas tantas pessoas oram por ele que Clarence (Henry Travers), um anjo que espera há 220 anos para ganhar assas, é mandado à Terra para tentar fazer George mudar de ideia, demonstrando sua importância através de flashbacks.”

Opinião/Críticas: Como estou tentando conhecer mais da história do cinema no geral, estou assistindo a filmes antigos, considerados clássicos obrigatórios para cinéfilos. Mais não faço isso pra passar imagem nem nada, faço porque sei das obras incríveis escondidas por trás de tantos anos e mesmisses atuais. Achei no geral que “It’s A Wonderful Life” é bem sincero e tocante, sensível até para quem se emociona facilmente. Pode parecer uma história boba e simples porém com uma tremenda importância e carregadas de sábios ensinamentos. O gênero é drama do ano de 1946.

Nota: nota 8

igh rise
Sinopse: “O longa adaptará o livro futurista de J. G. Ballard publicado em 1975, sobre uma sociedade estruturada numa torre gigantesca, projetada para isolar seus moradores do mundo exterior. Porém, o que era para ser o local perfeito para viver, uma guerra entre classes acontece, recriando um novo mundo governado pelas leis da selva.”

Opinião/Críticas: O filme em si é baseado em metáforas e filosofias de como os seres humanos reagiriam e sobreviveriam através de seus instintos, ou como diz na sinopse: pelas leis da selva. Os mais fortes e ricos sempre vão dominar pois mesmo na selva há os dominantes e isso já foi algo que não me cativou. Como eu sou uma pessoa que tenta sempre pensar pelo lado de fora da caixa (imaginária) eu iria recorrer a muitos outros recursos, não somente a sexo, drogas e luxuária que é simplesmente o que as pessoas fazem nos momentos de desespero do filme. O que posso dizer é que ele tenta passar uma forte crítica social, trazer o realismo para a tela… porém, não me convenceu. O gênero é drama do ano de 2016.

Nota: nota 4

PicMonkey Image
Sinopse: “Eilis, uma jovem mulher, se muda de uma pequena cidade da Irlanda para o Brooklin em Nova Yorque, lugar no qual ela se esforça para construir uma nova vida, encontrar trabalho e seu primeiro amor no processo. Quando uma tragédia familiar a leva de volta à Irlanda, ela vive um dilema terrível: uma escolha de partir o coração entre dois homens e dois países.”

Opiniões/Críticas: Com uma fotografia belíssima, o alto da moda dos anos 50, delicadeza do primeiro amor e uma pitada da simpatia irlandesa, faz desse filme uma graça para nossos olhos. Nós todas já fomos ou ainda teremos algo da Eilis, eu por exemplo me vi no lugar dela, quando ela se mudou pra tão longe e chorava sempre que ouvia notícias da família, o famoso “homesick” que pega muitos que deixam seu país. E notei que Eilis queria de todo coração alcançar seus sonhos, família e ter uma vida completa e feliz mesmo que pra isso ela tenha que dar as costas para o que poderia acontecer na Irlanda, ficando com sua mãe e se tornando algo que ela não queria. Mais quero dizer também que a química entre a atriz Saoirse Ronan (Eilis) e Domhnall Gleeson (Jim) funcionou muito bem, melhor até que com Tony (Emory Cohen).

Nota: nota 8

  • Músicas que ficaram no play/repeat:

  • Me contem o que vocês andam assistindo e ouvindo! Quem sabe rola umas indicações também… vamos usar os comentários do blog e participar das próximas postagens, pessoal 🙂 Aguardo vocês!

Beijos <3

 

10 músicas para você ouvir hoje.

Olá! 😀

Passando para compartilhar algumas músicas que achei nesse mundão da internet e que estou apaixonada. São todas alternativas e algumas de artistas bem desconhecidos das redes sociais. Estou curtindo muito estilos diferenciados ultimamente, vocês vão notar pela lista que no final chega até Selena Gomez 😀

Para acompanharem mais do que escuto diariamente, me segue no spotify: perfil aqui 🙂 E agora é só colocar os fones de ouvido e dar play:

No Words – Erik Hassle

How I Want Ya – Hudson Thames feat Hailee Steinfeld

New Obsession – Frankie

Sleep On It – Emmi

Brain – Banks

No Way No – MAGIC!

Can’t Feel My Face – The Weeknd

One More – Elliphant 

Run Away With Me – Carly Rae Jepsen

Good For You – Selena Gomez

 

Este post foi escrito por: Débora Fernanda

Olá! Sou Débora Fernanda Gessner, tenho 23 anos, atualmente morando em Jaraguá do Sul, SC. Desde 2009 venho imaginando ter 7 vidas (felinas, de preferência) para poder falar sobre tudo que curto e que faz parte da minha personalidade.

Tag: Viciados em Música.

Oláá.
Resolvi trazer uma tag de um tema que não abordo muito por aqui: música.
Acho bem difícil falar de músicas que gosto e que não gosto, pois não tenho gêneros parecidos que curto… Fica complicado de explicar 😛
Achei essa tag no blog da Vanessa Bayer.

adventure-time-awesome-bmo-cute-Favim.com-873025
 .
 .

1. Uma música romântica:
Before I Ever Met You – Banks


2. Uma música que te define:
Yellow Flicker Beat – Birdy


3. Uma música que não sai da cabeça:
Worth It – Fifth Harmony


4. Uma música que quando você escuta, você chora:
You Could Be Happy – Snow Patrol (Eu não choro realmente, mas acho ela bem triste)


5. Sua música predileta no momento:
One Time – Marian Hill


6. Uma música que você não consegue gostar:
Where Are U Now – Justin Bieber, Skrillex e Diplo


7. Cite um trecho de sua música predileta:
Lisztomania – Phoenix
“I’m not easily offended, it’s not hard to let it go, from a mess to the masses…”


8. Sua música predileta brasileira:
Fogo – Capital Inicial


9. Abra seu player em modo aleatório e diga qual é a quinta música:
Love me Harder – Ariana Grande ft The Weeknd


10. Tagueie 5 blogs:
Convido todos que estiverem passando por aqui para participar e compartilhar suas músicas queridas 😀
E quem participar deixa o link nos comentários que vou adorar conhecer as músicas preferidas de vocês!

Beijinhos e até o próximo post
:*



Tags:,

Este post foi escrito por: Débora Fernanda

Olá! Sou Débora Fernanda Gessner, tenho 23 anos, atualmente morando em Jaraguá do Sul, SC. Desde 2009 venho imaginando ter 7 vidas (felinas, de preferência) para poder falar sobre tudo que curto e que faz parte da minha personalidade.