Arquivo da tag: inspiração

Decoração com Poltronas.

Olá, pessoal! Tudo bem? 😄

Depois do post de Decoração com Washi Tape (< clique aqui se você ainda não viu o post) ter feito um sucesso, com muitos comentário positivos, e de quebra ter sido uma experiência maravilhosa pra mim – pois adoro ficar olhando decoração e sempre estou na procura de novas inspirações práticas, hoje vamos continuar com o assunto e trazer um item maravilhoso que acho que faz toda a diferença para a casa: poltrona 💜

Seja uma poltrona para leitura, amamentação, estudos, escritório ou apenas decorativa, ela deixa todo o ambiente com um charme a mais e traz muito conforto e aconchego.

Separei vários ambientes bacanas para mostrar na prática a diferença de uma poltrona em cômodos da casa:

3c0a53431bb7c84144f223ad4c2f7106

Se você é o tipo de pessoa que curte cores, coisas fofas e decoração moderna, pode incrementar sua poltrona com almofadas, mantas e até bichos de pelúcia 😍

b2950d648dcc7af4fb5e7dbd71bc4204

inspira-1

Conforme seu gosto pessoal, pode adquirir a poltrona de acordo com a paleta de cores dos seus cômodos como de uma cor só ou com estampas florais, listradas, etc.

inspira-2

inspira-5

Separei também alguns modelos para você comprar online, em modelos e estampas diferentes do padrão que encontramos em lojas de móveis físicas (que na maioria não exploram muito uma decoração criativa):

poltronas-decorativas

  1. Poltrona Cancun Geométrico
  2. Poltrona Textec Chocolate
  3. Poltrona Nobuk Floral Laranja
  4. Poltrona com base giratória Amarela
  5. Poltrona Jacquard Geométrico
  6. Poltrona Lavrado Azul

No site Toque a Campainha tem muitos outros modelos, estampas e variações – e muitas peças na promoção, com mais de R$ 200,00 de desconto. Corre lá pra conhecer o site e se perder no meio de tantos itens lindos!

Beijos e uma ótima semana pra vocês 😘

 

you're ugly too resenha

Last Week Plays: Consumed, The Monster of Mangatiti, etc.

Olá, gente linda 😃

Assisti uns filmes bem bacanas na semana passada e não poderia deixar de passar aqui pra vocês. Vamos para a listinha:

Sinopse: "Investigação de uma mãe sobre a doença de seu filho a leva para o mundo dos alimentos geneticamente modificados."
Sinopse: “Investigação de uma mãe sobre a doença de seu filho a leva para o mundo dos alimentos geneticamente modificados.”

Opiniões/Críticas: Eu gosto muito de assistir filmes e documentários com o tema de comida em relação a prevenção do que estamos realmente comendo, vegetarianismo, veganismo, etc. Consumed trouxe um mundo diferente para mim, pois nunca tive muito conhecimento em relação a alimentos geneticamente modificados e traz uma mensagem forte e até angustiante sobre o mundo dos rótulos e de que na grande maioria das vezes não sabemos o que estamos ingerindo. No Brasil existe essa lei relacionada a rótulos de alimentos e ingredientes: “Lei de Biossegurança (11.105/2005), que estabelece, em seu artigo 40: “Os alimentos e ingredientes alimentares destinados ao consumo humano ou animal que contenham ou sejam produzidos a partir de OGM [organismos geneticamente modificados] ou derivados deverão conter informação nesse sentido em seus rótulos, conforme regulamento” – porém nem tudo funciona da maneira correta e há várias discussões e tentativas de manipulação dessa lei (para favorecer empresas, claro). Enfim, o filme é muito bom, gente, vale a pena! Está disponível na Netflix!

Nota: nota-8

filme The Monster of Mangatiti
Sinopse: “Ao 19 anos de idade Heather Walsh aceita um emprego em uma fazenda no Vale do Mangatiti, mais ela não tem idéia que o paraíso vai se tornar um pesadelo. Esta história verdadeira que se passa na Nova Zelândia fala da terrível provação de Heather.”

Opiniões/Críticas: Uma escolha sábia do meu irmão para assistir no domingo, acabou trazendo essa história real emocionante para a minha vida. Senti um sofrimento enorme ao assistir os relatos de Heather… como se a vida de uma pessoa fosse sugada e a partir daqueles acontecimentos. Não posso dizer que a decisão dela foi errada, ao aceitar um emprego em um local distante pois isso é similar a um intercâmbio, mais eu não preciso explicar as decisões da Heather pois ela estava apenas tentando viver a vida de uma maneira adulta, com novas aventuras o que é perfeitamente normal. Porém, o que acontece com ela durante alguns meses de sua vida foi devastador, quase que inacreditável. Deixei vocês na curiosidade? O filme está disponível na Netflix, vale super a pena conferir.

Nota: nota-8

sinopse Joe
Sinopse: “Joe Ransom (Nicolas Cage) é um ex presidiário que vive preso ao passado. Afundado na bebida e amargurado com a vida, ele começa a trabalhar em uma madeireira durante o dia, procurando uma vida simples. Durante seu período de trabalho, ele encontra com Gary (Tye Sheridan), um jovem de 15 anos, que procura trabalho desesperadamente para conseguir sustentar sua família, e cujo pai é alcóolatra. Joe decide proteger e cuidar do menino, oferecendo-o um trabalho.”

Opiniões/Críticas: Palmas para um filme do Nicolas Cage que não lida com coisas paranormais ou fora de qualquer contexto da nossa imaginação 👏👏👏 Não fiquem chateados, mais eu meio que detesto os filmes do Nicolas pois tem temas nonsenses extremos (que nem tem graça). Em Joe, pude notar a boa atuação dele como um cara valentão e problemático – e posso dizer que ele conseguiu uma boa performance. É impossível não criar empatia por essa história de luta e superação do jovem Gary.

Nota: nota-7

resenha yves saint laurent 2014
Sinopse: “Paris, 1957. Com apenas 21 anos, Yves Saint Laurent (Pierre Niney) é chamado para se encarregar do futuro da prestigiosa grife de alta costura fundada por Christian Dior, falecido recentemente. Depois de seu primeiro desfile triunfal, ele vai conhecer Pierre Bergé (Guillaume Gallienne) e este encontro irá abalar sua vida. Amantes e parceiros de trabalho, os dois se associam a fim de criar a grife Yves Saint Laurent. Apesar de suas obsessões e demônios interiores, Saint Laurent vai revolucionar o mundo da moda com sua abordagem moderna e iconoclasta.”

Opiniões/Críticas: Visual do filme é bacana e entrar nessa cena da moda e toda a história envolvendo um nome tão importante é legal também – pois a gente gosta das modinhas mais nem sabe como essas coisas realmente nasceram né 😅 Porém teve cenas que achei que poderiam ser descartadas por não apresentar diferença ou trazer algo necessário para nosso conhecimento. Assim como MUITOS e MUITOS artistas, músicos, atores, etc com Yves não foi muito diferente: teve distúrbios mentais e muita droga envolvida, haha.

Nota: nota-5

you're ugly too resenha
Sinopse: “Após a morte de sua mãe, Stacey (Lauren Kinsella) muda-se com seu tio Will (Aidan Gillen) para uma região remota da Irlanda. Como os dois cautelosamente começam a conhecer um ao outro, eles têm de lidar com as sombras escuras do passado. Um personagem astuto conduzido na necessidade de recuperar o equilíbrio e se libertar, contado com uma boa dose de humor irlandês.”

Opiniões/Críticas: 🇮🇪 Filme irlandês na área 🇮🇪 Pra quem está indo pra lá ou tem curiosidade de ouvir o sotaque deles esse filme é ótimo 😉 #fikdik

Como já falei algumas vezes aqui, os filmes europeus tem me surpreendido muito e positivamente. No gênero drama, os atores e atrizes de lá tem atuado de maneira minimalista e nos envolvendo em todo o enredo, fazendo com que a gente sinta algo durante a experiência de conhecer as histórias fictícias ou reais. Sem contar que eu amo os lugares filmados em qualquer lugar da Europa (porque eu sou fã da Europa e pronto, me deixa ✋).

Nota: nota-7

  • Músicas que ficaram no play/repeat 🎵

vocês já viram a quantidade de caras gatos nesse clipe novo da Britney? imperdível 💗

  • Me contem nos comentários tudo que vocês andaram “curtindo” nas últimas semanas! 

Beijo 💋

Last Week Plays: The Sixth Sense, Dreams e muito mais!

Boa tarde, pessoal 😀

Na semana passada não rolou muitos filmes, já que era semana de prova na faculdade e eu tento não assistir pra não ficar tão desconexa dos conteúdos, haha. Mais eu consigo burlar minhas próprias regras, então assisti 3 filmes que foram:

Sinopse: "O psicólogo infantil Malcolm Crowe (Bruce Willis) abraça com dedicação o caso de Cole Sear (Haley Joel Osment). O garoto, de 8 anos, tem dificuldades de entrosamento no colégio e vive paralisado de medo. Malcolm, por sua vez, busca se recuperar de um trauma sofrido anos antes, quando um de seus pacientes se suicidou na sua frente."
Sinopse: “O psicólogo infantil Malcolm Crowe (Bruce Willis) abraça com dedicação o caso de Cole Sear (Haley Joel Osment). O garoto, de 8 anos, tem dificuldades de entrosamento no colégio e vive paralisado de medo. Malcolm, por sua vez, busca se recuperar de um trauma sofrido anos antes, quando um de seus pacientes se suicidou na sua frente.”

Opiniões/Críticas: Uma das primeiras coisas que me pergunto quando assisto a filmes clássicos é: Por que não assisti antes? O Sexto Sentido sempre foi um filme que tive muita curiosidade em assistir porém o medo me impedia, haha (confesso mesmo). Para a época com certeza foi um grande marco para o gênero de suspense – e ainda é atualmente – porém temos filmes mais fortes e assustadores, então consegui assistir de boa 😉 Vale a pena deixar o medo de lado e se jogar nesse filme maravilhoso, com uma super atuação de Haley Joel Osment e do Bruce Willis.

Nota: nota 9

Sinopse: "São oito segmentos. No primeiro, “A Raposa”, uma criança é avisada pela mãe que não deveria ir à floresta quando há chuva e sol, pois é a época do acasalamento das raposas, que gostam de serem observadas, mas ele desobedece os conselhos e observa as raposas, atrás de uma árvore. Ao retornar para casa sua mãe não o deixa entrar e lhe entrega um punhal, dizendo que como ele havia contrariado a raposa ele deveria se matar, mas ela sugere algo que pode remediar a situação. Na segunda, “O Jardim dos Pessegueiros”, o irmão mais novo de uma família, ao servir chá para as irmãs, depara com uma moça que foge. Indo ao seu encalço, nota que ela é uma boneca e depara com os pessegueiros da sua casa totalmente cortados, restando só tocos. Os espíritos dos pessegueiros surgem para ele e, em uma dança melancólica, dizem que as bonecas são colocadas para enfeitar e festejar a florada dos pessegueiros, mas como eles não mais existem naquela casa não fazia sentido a presença das bonecas. Na terceira, “A Nevasca”, o líder de uma expedição, junto com seu grupo, se vê em meio a uma nevasca. Eles sucumbem a nevasca, mas repentinamente surge uma linda mulher que envolve o líder com uma echarpe prata. Ele percebe que ela é a morte, que se transforma em uma horrenda figura, então ele vê que está próximo do acampamento e tenta acordar os companheiros, mas não consegue. Ouve então, uma corneta, indicando que o acampamento está mais próximo do que imagina. No quarto, “O Túnel”, ao entrar em um túnel o capitão de um exército é surpreendido por um cão, que ladra para ele. Atravessa então o túnel em curtos passos. Na saída ouve alguém a caminhar e depara com um dos seus soldados morto em combate, que pensa não estar morto. No quinto conto, “Corvos”, um jovem pintor, ao observar as pinturas de Van Gogh, entra dentro dos quadros e se encontra com o pintor, que indaga por qual razão ele não está pintando se a paisagem é incrível, pois isto o motiva a pintar de forma frenética. No sexto conto, “Monte Fuji em Vermelho”, o Fuji entra em erupção ao mesmo tempo ocorre um incêndio em uma usina nuclear, provocado por falha humana. É desprendida no ar uma nuvem de radiação. Um homem relata ser um dos responsáveis pela tragédia e diz preferir a morte rápida de um afogamento à lenta provocada pela radiação. No sétimo, “O Demônio Chorão”, ao caminhar um viajante encontra um demônio, que lamenta ter sido um homem ganancioso e, como muitos, transformou a terra em um lastimável depósito de resíduos venenosos. No último, “Povoado dos Moinhos”, um viajante chega à um lugarejo conhecido por muitos como Povoado dos Moinhos. Lá não há energia elétrica e tampouco urbanização. Um idoso, ao ser indagado, relata que os inventos tornam as pessoas infelizes e que o importante para se ter uma boa vida é ser puro e ter água limpa."
Sinopse: “São oito segmentos. No primeiro, “A Raposa”, uma criança é avisada pela mãe que não deveria ir à floresta quando há chuva e sol, pois é a época do acasalamento das raposas, que gostam de serem observadas, mas ele desobedece os conselhos e observa as raposas, atrás de uma árvore. Ao retornar para casa sua mãe não o deixa entrar e lhe entrega um punhal, dizendo que como ele havia contrariado a raposa ele deveria se matar, mas ela sugere algo que pode remediar a situação.
Na segunda, “O Jardim dos Pessegueiros”, o irmão mais novo de uma família, ao servir chá para as irmãs, depara com uma moça que foge. Indo ao seu encalço, nota que ela é uma boneca e depara com os pessegueiros da sua casa totalmente cortados, restando só tocos. Os espíritos dos pessegueiros surgem para ele e, em uma dança melancólica, dizem que as bonecas são colocadas para enfeitar e festejar a florada dos pessegueiros, mas como eles não mais existem naquela casa não fazia sentido a presença das bonecas.
Na terceira, “A Nevasca”, o líder de uma expedição, junto com seu grupo, se vê em meio a uma nevasca. Eles sucumbem a nevasca, mas repentinamente surge uma linda mulher que envolve o líder com uma echarpe prata. Ele percebe que ela é a morte, que se transforma em uma horrenda figura, então ele vê que está próximo do acampamento e tenta acordar os companheiros, mas não consegue. Ouve então, uma corneta, indicando que o acampamento está mais próximo do que imagina.
No quarto, “O Túnel”, ao entrar em um túnel o capitão de um exército é surpreendido por um cão, que ladra para ele. Atravessa então o túnel em curtos passos. Na saída ouve alguém a caminhar e depara com um dos seus soldados morto em combate, que pensa não estar morto.
No quinto conto, “Corvos”, um jovem pintor, ao observar as pinturas de Van Gogh, entra dentro dos quadros e se encontra com o pintor, que indaga por qual razão ele não está pintando se a paisagem é incrível, pois isto o motiva a pintar de forma frenética.
No sexto conto, “Monte Fuji em Vermelho”, o Fuji entra em erupção ao mesmo tempo ocorre um incêndio em uma usina nuclear, provocado por falha humana. É desprendida no ar uma nuvem de radiação. Um homem relata ser um dos responsáveis pela tragédia e diz preferir a morte rápida de um afogamento à lenta provocada pela radiação.
No sétimo, “O Demônio Chorão”, ao caminhar um viajante encontra um demônio, que lamenta ter sido um homem ganancioso e, como muitos, transformou a terra em um lastimável depósito de resíduos venenosos.
No último, “Povoado dos Moinhos”, um viajante chega à um lugarejo conhecido por muitos como Povoado dos Moinhos. Lá não há energia elétrica e tampouco urbanização. Um idoso, ao ser indagado, relata que os inventos tornam as pessoas infelizes e que o importante para se ter uma boa vida é ser puro e ter água limpa.”

Opiniões/Críticas: Como a sinopse já se tornou auto explicativa e facilitou toda a complicada situação de expor esse filme em palavras, vamos aos meus sentimentos (que foram muitos): eu estive atrás desse filme por um longo tempo porque no site do Filmow ele tem só comentários positivos sobre a complexidade dessa obra, ai fiquei com uma curiosidade gigante! Consegui achar um link torrent do filme e legenda correta porém ao assistir me decepcionei bastante… O filme não conseguiu me tocar do jeito que foi com quase toda a população brasileira, hahaha. Viagem e conteúdo nonsense total! Acredito que para os asiáticos fez mais sentido, já que envolve bastante coisas da cultura e das crenças deles. O único conto que gostei um pouco foi o “Corvos” com as lindas paisagens das pinturas de Van Gogh.

Para ler os comentários do filme no Filmow clique aqui.

Nota: nota2 

Sinopse: "Washington, 2054. O assassinato foi banido, pois há a divisão pré-crime, um setor da polícia onde futuro é visualizado através de paranormais, os precogs, e o culpado é punido antes do crime ter sido cometido. Quando os três precogs, que só trabalham juntos e flutuam conectados em um tanque de fluido nutriente, têm uma visão, o nome da vítima aparece escrito em uma pequena esfera e em outra esfera está o nome do culpado. Também surgem imagens do crime e a hora exata em que acontecerá. Estas informações são fornecidas para um elite de policiais, que tentam descobrir onde será o assassinato, mas há um dilema: se alguém é preso antes de cometer o crime pode esta pessoa ser acusada de assassinato, pois o que motivou sua prisão nunca aconteceu? O líder da equipe de policiais é John Anderton (Tom Cruise), que perdeu o filho há seis anos atrás em virtude de um criminoso que o seqüestrou. O desaparecimento da criança o fez se viciar em drogas e ainda continua dependente, mas isto não o impede de ser o policial mais atuante na divisão pré-crime. Porém algo muda totalmente sua vida quando vê, através dos precogs, que matará um desconhecido em menos de trinta e seis horas. A confiança que Anderton tinha no sistema rapidamente se perde e John segue uma pequena pista, que pode ser a chave da sua inocência: um estranho caso que não foi solucionado e há um "relatório menor", uma documentação de um dos raros eventos no qual o que um precog viu é diferente dos outros. Mas apurar isto não é uma tarefa fácil, pois a divisão pré-crime já descobriu que John Anderton cometerá um assassinato e todos os policiais que trabalhavam com ele tentam agora capturá-lo."
Sinopse: “Washington, 2054. O assassinato foi banido, pois há a divisão pré-crime, um setor da polícia onde futuro é visualizado através de paranormais, os precogs, e o culpado é punido antes do crime ter sido cometido. Quando os três precogs, que só trabalham juntos e flutuam conectados em um tanque de fluido nutriente, têm uma visão, o nome da vítima aparece escrito em uma pequena esfera e em outra esfera está o nome do culpado. Também surgem imagens do crime e a hora exata em que acontecerá. Estas informações são fornecidas para um elite de policiais, que tentam descobrir onde será o assassinato, mas há um dilema: se alguém é preso antes de cometer o crime pode esta pessoa ser acusada de assassinato, pois o que motivou sua prisão nunca aconteceu? O líder da equipe de policiais é John Anderton (Tom Cruise), que perdeu o filho há seis anos atrás em virtude de um criminoso que o sequestrou. O desaparecimento da criança o fez se viciar em drogas e ainda continua dependente, mas isto não o impede de ser o policial mais atuante na divisão pré-crime. Porém algo muda totalmente sua vida quando vê, através dos precogs, que matará um desconhecido em menos de trinta e seis horas. A confiança que Anderton tinha no sistema rapidamente se perde e John segue uma pequena pista, que pode ser a chave da sua inocência: um estranho caso que não foi solucionado e há um “relatório menor”, uma documentação de um dos raros eventos no qual o que um precog viu é diferente dos outros. Mas apurar isto não é uma tarefa fácil, pois a divisão pré-crime já descobriu que John Anderton cometerá um assassinato e todos os policiais que trabalhavam com ele tentam agora capturá-lo.”

Opiniões/Críticas: Achei o enredo do filme me interessante e convidativo, mas peca bastante nas atuações e em algumas situações que ficaram forçadas. Não que os atores sejam ruins, eu gosto muito da maioria dos filmes e atuações do Tom Cruise, porém tem situações que acontecem no filme que não acrescentaram nada. Principalmente nas partes de mais ação, correria e tensão… ficou tudo bem boring. Poderiam ter investido mais em deixar a trama mais triste e dramática.

Nota: nota 8

  • Músicas que ficaram no play/repeat – Essa semana estava no clima de throwback time 😁 :

  • E como lidar com o fato de estar totalmente viciada no Carpool Karaoke do programa The Late Late Show with James Corden? :

Gente, Adele é uma pessoinha incrível, não é? 😍 Todos os outros “episódios” estão na sugestão desse vídeo, é só dar o play e conhecer um pouco mais dos nossos famosos queridinhos. O karaoke com a Sia é super divertido também!

  • Follow da semana no Instagram:

@_beccafrances – Estilosa com uma pitada gótica, com make/hair maravilhosos e fotos de gatíneos 😍

Sem título

 

  •  O que vocês andaram curtindo nas últimas semanas? Me contem tudo nos comentários, pessoal!

Beijoooos ❤️

Look do Dia: Blah Blah.

Olá pessoal 😀

Essa semana estava (e ainda está na verdade) cheia de desafios, minha cabeça cheia de ideias e coisas pra fazer, ler, estudar, aprender… Ufa, tô quase ficando meio louca, haha. Porém o mais triste é que estou tendo bastante dificuldade para aprender duas coisas que sempre quis, e que é relacionado ao blog: aprender a editar vídeos no Sony Vegas e aprender a editar fotos de maneiras bacanas no Photoshop. A edição de vídeo até que estou saindo um pouco da estaca zero mais o Photoshop tá osso mesmo, não entendo é nada 🙁

Mais pra esse final de semana venho atualizar essa categoria que amo: Look do dia! Todas as peças desse look são as minhas mais queridas das últimas compras que fiz, sério, tudo é muito “preferido do momento” 😀

Vamos para as fotos:

IMG_4963
Não sei definir essa minha pose de pernas abertas, kkkk. É liberdade mesmo, pessoal!

Esse está sendo um dos estilos que mais me sinto a vontade atualmente: street, com uma pegada old school (as vezes coloco um blazer, ou uma blusa um pouco mais séria, porque se não pareço muito teen, haha) com preferência nas cores : mescla, preto, branco, azul e marsala, por favor 😀

IMG_4961

Algumas pessoas elogiaram meu cabelo nos últimos meses e eu fico muito feliz com tudo isso já que posso dizer que encontrei o corte perfeito que se encaixa com a minha personalidade… Me sinto muito bem com ele desse jeitinho: curto e bagunçadinho 🙂 Uso uma pomada da Avon pra fazer penteados nele.

IMG_4966

Essa bolsa, que eu uso praticamente todos os dias, foi uma longa e cansativa história até realmente aceitar e comprar, sabe? Eu estava precisando de uma bolsa maior faz tempo, porém sempre ficava enrolando pra comprar (já que eu tenho preguiça de usar bolsa grande quando não é necessário). Eu vi ela na Riachuelo, na promoção e me apaixonei mais decidi que deveria procurar mais. Rodei pela minha cidade em várias lojas e só tinha modelos que não me agradavam ou eram de um valor que eu não poderia pagar no momento #pobreza. Final da história: voltei na Riachuelo ainda no mesmo dia e comprei a amadinha e não me arrependo 😀 Esse tom de marrom é muito lindo e combina com tudo!

IMG_4973

Créditos do look:

  • Blusa: Riachuelo
  • Cardigan: Primark
  • Calça: Riachuelo
  • Bolsa: Riachuelo
  • Bota: Quiz Calçados
  • Chocker: Ali Express

~Riachuelo me patrocina, kkkkk~

Me contem nos comentários o que acharam do look e das fotos…com sinceridade ok?! hahaha

Beijos!

Sobre entender um Não.

Olá pessoal! Que saudade daqui, de vocês e de dividir coisas todos juntos 😀

Minha vida deu uma super virada de ponta cabeça desde o último post até os dias atuais, já queria ter voltado antes para esclarecer um pouco tudo isso mais ainda estou aprendendo a organizar meu tempo em relação a trabalho, estudo, afazeres domésticos e viver um pouco também, haha. Recentemente voltei pra faculdade, yeeeeah! Estou fazendo licenciatura em Português e Inglês, o famoso curso de Letras. Sempre foi algo que eu super me identifiquei e já havia começado essa faculdade a alguns anos atrás, porém eu tranquei ela pra ir morar na Irlanda. Agora senti que era realmente o momento de voltar e focar no meu futuro, com aquilo que eu realmente quero ser. Estou na segunda matéria do curso no momento, e posso dizer que é puxado pois cursos desse estilo tem MUITO conteúdo pra você ler e absorver, então tenho que estar todo dia estudando um pouco, pra fixar isso na minha cabeça de vento, KKK.

Outra novidade é que estou tentando começar a trabalhar na área, através de escolas de idiomas, como teacher. O certificado que consegui na Irlanda me proporcionou a opção de lecionar também, então estou correndo atrás desse sonho (é algo que realmente sempre pensei em fazer). Mais ainda são planos, treinamentos, entrevistas e muito pensamento positivo 😀 Assim que eu tiver mais notícias sobre tudo isso, vou fazer um post específico, até com algumas dicas pra quem está pensando em seguir nessa careira.

Mais hoje vou trazer um assunto que anda me incomodando bastante nos últimos tempos e que gostaria de debater com vocês: o Não. Isso mesmo, sabe quando você fala não pra alguém e essa pessoa não aceita e continua a te perguntar a mesma coisa, mudando uma palavra ou outra pra tentar chamar sua atenção novamente, mais acaba sendo uma situação de stress pra você e de humilhação pra outra pessoa? Isso é algo bastante comum de acontecer, principalmente em relação a vendas, comércios e ligações telefônicas.

woman-saying-no

Em cada uma de minhas experiências de emprego eu fui enxergando cada vez mais que a área comercial não é algo que eu me encaixo. Pra começar porque eu odeio trabalhar sob pressão, sou um pouco tímida para me relacionar com determinados tipos de pessoas (por exemplo uma outra pessoa tímida, mais isso é algo que estou treinando muito e deixando a vergonha de lado), em relação a insistência e de que você não deve aceitar um Não e deixar por isso. Já trabalhei em mercados, lojas de roupas, lojas de calçados, assessora comercial em escolas de idiomas, pet shops, etc… porém mesmo sendo campos diferentes as questões e princípios prevalecem parecidas, como: o cliente sempre tem razão, você não está fazendo tudo que poderia, deve tentar vender algo que a pessoa deixou claro não precisar e de que o primeiro Não é algo que não se aceita.

Esses princípios vão totalmente contra os meus. Até porque nenhum deles mistura empatia, e eu acredito que empatia é um dos sentimentos mais importantes para a construção de uma sociedade melhor.

Em meio a esses empregos, eu sempre tentei aprender muito, batalhar e dar o melhor de mim, pois achei que só seria uma boa funcionária quando os outros me notassem, me elogiassem e que eu ficasse como um destaque no meu setor. Porém, quando consegui esse tipo de atenção, notei que aquilo era apenas uma ilusão que tantos colocam na nossa cabeça diariamente. Na verdade, eu estava fazendo algo que não me deixava feliz e eu precisava buscar ali dentro, me sentir melhor através de pessoas me falando coisas legais. Mais não é sobre isso que um trabalho deve ser ou te fazer sentir.

A área de vendas ou comercial, com metas e muita pressão é algo para poucos e para fortes. Também para quem sente estar no lugar certo e não se importar de ouvir Não várias vezes pois aquele Sim pode chegar e completar seu dia. Eu acredito muito que cada um  de nós tem um perfil e que através desse perfil podemos encontrar o trabalho que nos faça ficar em sintonia com felicidade e compromisso, sem ser um fardo na vida. Em meio a esses trabalhos que tive, assisti vários vídeos, palestras e tantas outras coisas para tentar melhorar meu desempenho e conseguir alcançar objetivos. Porém tantas dessas coisas bacanas que aprendi, teve muita coisa desnecessária, banal e até um pouco babaca.

Por exemplo: em um vídeo de treinamento o vendedor deve ouvir até 8 vezes Não de uma pessoa, pois depois daquilo ela vai se convencer a dizer Sim. Você consegue imaginar a situação que é ouvir 8 vezes Não e ainda tentar contra argumentar? Se você ouviu não, não quer dizer que seu método esteja errado, que não foi simpático o suficiente, as vezes (e essas vezes são muitas), a pessoa realmente não está interessada no seu produto. Ela não precisa daquilo. Como você, que não conhece essa pessoa que está atendendo, sabe no máximo seu nome, pode saber o que é ou não melhor para ela? Você pode e deve apresentar sim todos os pontos positivos de seu produto e também como aquela pessoa pode introduzir esse produto no momento de vida atual dela. Porém, não cabe a você tomar a decisão final.

Esses exemplos se encaixam com outras situações que estamos presenciando atualmente, como a cultura do estupro, que muita gente diz não existir, a grande batalha para a aceitação do feminismo na sociedade, uso de gênero em salas de aula, brinquedos e produtos no geral fazendo com que feminino e masculino sejam praticamente espécies diferentes, etc.

A minha loja preferida aqui de Jaraguá do Sul tem vários pontos positivos porém o único ponto negativo dela está me fazendo comprar em outras: a insistência para fazer o cartão da loja. Tem uma mulher que trabalha no caixa, que eu já memorizei o rosto pois tento fugir do caixa dela toda vez, KKKK. Certa vez eu estava passando minhas compras com essa mulher e ela insistiu tantas vezes para que eu fizesse o cartão da loja que no final ela falou: – Nossa, vocês não gostam de desconto? E eu respondi, tentando ser o mais educada possível: – A questão não é eu gostar ou não de desconto, é que eu não gosto e não quero fazer o cartão de vocês. Ela me olhou como se eu fosse a pior pessoa do mundo e confesso que fiquei com raiva por isso, pois eu não quero que o momento que estou comprando coisas novas seja estressante, tem que ser um momento prazeroso pois estou comprando um presente para mim mesma, certo?! O cartão em questão era para fazer compras parceladas na loja e na primeira compra você ganha 10% de desconto, porém depois dessa primeira compra você não ganha mais nenhum tipo de desconto no futuro, então… Qual o ponto? Eu realmente não gosto de parcelar nada do que compro, planejo com meu pagamento o que vou comprar, se for algo caro eu junto uma grana por alguns meses e faço tudo a vista, pois foi algo que me acostumei a fazer e a muito tempo eu me programo nesse mesmo esquema.

Ufa! Como foi bom escrever esse textão e desabafar 😀 hahaha

Me contem nos comentários qual a opinião de vocês em relação a esse assunto e se vocês já passaram por situações parecidas… Vamos nos conhecer melhor e trocar ideias, pessoal 😉

Beijos, até o próximo post!

Este post foi escrito por: Débora Fernanda

Olá! Sou Débora Fernanda Gessner, tenho 23 anos, atualmente morando em Jaraguá do Sul, SC. Desde 2009 venho imaginando ter 7 vidas (felinas, de preferência) para poder falar sobre tudo que curto e que faz parte da minha personalidade.