Arquivo da tag: indicações

*Especial de Resenhas pós-Oscar 2017* – 5. Hacksaw Ridge 6. Lion 7. Passengers

Dando continuidade as resenhas dos filmes indicados com esse especial pós-Oscar 😉
5. Hacksaw Ridge em português como "Até O Último Homem"

Sinopse: “Durante a Segunda Guerra Mundial, o médico do exército Desmond T. Doss se recusa a pegar em uma arma e matar pessoas, porém, durante a batalha de Okinawa ele trabalha na ala médica e salva mais de 75 pessoas, sendo condecorado. O que faz de Doss o primeiro Opositor Consciente da história norte-americana a receber a Medalha de Honra do Congresso.” (via filmow.com)

Diretor: Mel Gibson

Opinião: Apesar de triste, as guerras sempre nos trazem filmes marcantes e emocionantes – principalmente estes baseados em fatos reais – e com Hacksaw Ridge não foi diferente.

A vida e bravura de Desmond T. Doss é realmente admirável! Com muito esforço, fé e positividade, ele salvou e com certeza marcou a vida de muitas pessoas – e não precisou usar uma arma e fazer exatamente aquilo que o seu país achava que seria o necessário para ajudar seus companheiros na guerra. Acredito que muitas pessoas tentaram ser opositores conscientes em guerras mas não tiveram sucesso em viver e contar sua história. A matança de uma guerra é algo desolador e triste porém conhecer alguém que conseguiu honrar seu país com outros meios é inspirador demais. O roteiro foi adaptado de maneira minuciosa e com os detalhes necessários, assim como a direção do filme.

Indicações ao Oscar: Melhor Filme, Melhor Diretor (Mel Gibson), Melhor Ator (Andrew Garfield), Melhor Edição, Melhor Edição de Som e Melhor Mixagem de Som.

Trailer: 

Nota: 

6.  Lion em português como "Lion: Uma Jornada Para Casa"

Sinopse: “Quando tinha apenas cinco anos, o indiano Saroo (Dev Patel) se perdeu do irmão numa estação de trem de Calcutá e enfrentou grandes desafios para sobreviver sozinho até ser adotado por uma família australiana. Incapaz de superar o que aconteceu, aos 25 anos ele decide buscar uma forma de reencontrar sua família biológica.” (via filmow.com)

Diretor: Garth David

Opinião: Esse filme tocou meu coração de uma forma muito singela e emocionante. A história de Saroo é linda demais! Cheio de coragem, sonhos e amor por sua família, ele passa por tantas coisas na vida que é até um certo milagre ele ter sobrevivido.

A realidade é que isso acontece muito, todos os dias, e não só na Índia mas em muitas outras grandes metrópoles. Crianças perdidas e que infelizmente topam com pessoas que não estão dispostas a ajudar e sim em tornar aquilo algo lucrativo. A sorte de Saroo, por um lado, foi ter sido acolhido por um família com tanto amor e boas intenções, que realmente adotaram uma criança para dar a ela a chance de uma vida digna e feliz. As atuações estavam magníficas, em todas as partes do filme.

Sinceramente acredito que todos vocês deveriam assistir esse filme e se surpreender 😉

Indicações ao Oscar: Melhor Filme, Melhor Ator Coadjuvante (Dev Patel), Melhor Atriz Coadjuvante (Nicole Kidman), Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia e Melhor Trilha Sonora.

Trailer:

Nota: 

7. Passengers em português como "Passageiros"

Sinopse: “Uma nave espacial transporta milhares de pessoas para um planeta colônia, que tem uma avaria em uma de suas câmaras de sono. Como resultado, um único passageiro é despertado 90 anos antes de qualquer outra pessoa. Diante da perspectiva de envelhecer e morrer sozinho, ele finalmente decide acordar um segundo passageiro, marcando o início do que torna uma história de amor única.” (via filmow.com)

Diretor: Morten Tyldum

Opinião: A sinopse na verdade é um pouco equivocada já que o filme não se trata só de uma história de amor mas também de uma luta por sobrevivência e várias outras mensagens que entendi com o passar da história. Essa ideia de estar sozinho no meio da galáxia, viajando há mais de 90 anos é muito assustadora – e é nesse clima que o filme se desenrola.

O detalhe dos personagens terem se apaixonado é um tanto óbvio: os dois são realmente bonitos e eles estavam sozinhos, sabendo que aquela era a única vida que restava para eles.

Em resumo o filme não traz novidades para o gênero e o final fica explicitamente óbvio com o decorrer da história. Não foi dessa vez que mais um filme da Jennifer Lawrence me faz gostar mais dela 🤔

Indicações ao Oscar: Melhor Design de Produção e Melhor Trilha Sonora.

Trailer:

Nota: 

  • Já assistiram algum dos filmes citados aqui? Se sim, me contem nos comentários as suas impressões e opiniões 😃

Beijos e um ótimo final de semana! ❤️

 

 

Last Week Plays: Fracture, Return to Sender e muito mais!

Olá! Tudo bem com vocês? 😀

Mais uma semana começando e vou confessar que está sendo difícil manter os posts de “Last Week Plays” pois o tempo passa voando… Quase impossível acompanhar, né?! Logo é Natal, kkk 😲

Essa semana foi bem light – não fiquei assistindo muita coisa, pois estou trabalhando em novos projetos e atrás de novas possibilidades de trabalhos aqui para o blog também! *cheirinho de novidade* 😍

  • Os filmes da semana que passou foram:
um-crime-de-mestre
Sinopse: “Willy Beachum (Ryan Gosling) é um jovem e ambicioso promotor público, que está no melhor momento de sua vida profissional. Ele tem 97% de vitória nos casos em que atuou e está prestes a assumir um cargo na famosa agência Wooton Sims. Porém, antes de deixar o cargo de promotor ele tem um último desafio pela frente: Ted Crawford (Anthony Hopkins). Após descobrir que sua esposa o estava traindo, Ted a matou com um tiro na cabeça. Parecia um caso simples, já que era um crime premeditado e com uma confissão clara, mas Ted cria um labirinto complexo em torno do caso de forma a tentar sua absolvição.”

Opiniões/Críticas: Como já era de se esperar, um filme com Anthony Hopkins que me prendeu ao caso de início ao fim. Com sua performance sádica, vingativa e minimalista, Ted nos deixa cheio de curiosidade sobre suas ações. Do outro lado, lutamos e tentamos montar o quebra cabeça junto com Willy, que é cheio de garra e determinação – e odeia perder. O desenrolar do filme tem um ritmo ótimo, com mistério na medida certa. O filme tem bastante momentos em julgamento, mais não deixa de nos manter na expectativa pois é lá que temos as surpresas e reviravoltas de ambos os personagens.

“Matei minha esposa. Agora prove.”

Nota: nota-8

Sinopse: ""Return to Sender" narra a história de uma enfermeira que é brutalmente estuprada por um homem misterioso (Shiloh Fernandez). Após sua prisão, ela começa a enviar cartas para ele na prisão, mas todas são devolvidas. Determinada a confrontá-lo, ela então começa a visitá-lo regularmente na prisão e, aparentemente, faz amizade com ele, contra a vontade de seu pai (Nick Nolte). Incapaz de compreender as intenções de sua filha, ele teme pela segurança dela quando o seu agressor for liberado da prisão."
Sinopse: “”Return to Sender” narra a história de uma enfermeira que é brutalmente estuprada por um homem misterioso (Shiloh Fernandez). Após sua prisão, ela começa a enviar cartas para ele na prisão, mas todas são devolvidas. Determinada a confrontá-lo, ela então começa a visitá-lo regularmente na prisão e, aparentemente, faz amizade com ele, contra a vontade de seu pai (Nick Nolte). Incapaz de compreender as intenções de sua filha, ele teme pela segurança dela quando o seu agressor for liberado da prisão.”

Opiniões/Críticas: O filme tem toda uma história intrigante, muito misteriosa que me encheu de dúvidas sobre se eu estava gostando do desenrolar da história ou não. Teve momentos que fiquei com raiva da personagem principal, outros fiquei chateada com o que ela tinha que passar, entre muitos outros sentimentos. Mais uma coisa é fato: esperei até o último momento para entender tudo, pois se você se precipita e coloca na sua cabeça que algo vai acontecer… pode acabar tendo uma bela surpresa no final 😏 A atriz Rosamund tem um talento natural de confundir a gente, né?!

“Ele escolheu o endereço errado.”

Nota: nota-6

instinto
Sinopse: “Earl Brooks (Kevin Costner) é um executivo de sucesso, marido e pai exemplar, filantropo generoso. Todos o consideram um pilar em sua comunidade, mas ele esconde um grande segredo: é um serial killer. Seus crimes são conhecidos como sendo do Assassino da Impressão Digital, sendo que ninguém tem idéia de qual seja sua identidade. Apesar de estar afastado do mundo do crime há algum tempo, a compulsão de Brooks em matar volta à tona devido ao seu alter ego (William Hurt), o qual considera ser o verdadeiro assassino. Porém ao realizar mais um assassinato Brooks comete um erro, sendo notado por um fotógrafo curioso (Dane Cook), que passa a chantageá-lo. Este crime também coloca em seu encalço a detetive Tracy Atwood (Demi Moore), que está obcecada em desvendar o caso.”

Opiniões/Críticas: Sempre tive curiosidade de assistir esse filme pois a capa dele me chama atenção, traz uma certa dúvida sobre o que realmente Mr Brooks tem a esconder. Em relação as atuações: trabalho maravilhoso entre Kevin Costner e William Hurt – uma sintonia notável e brilhante (as cenas que eles riam juntos eram as melhores), já Dane Cook não combinou nada com seu personagem, não conseguiu trazer a “esquizitisse” que precisava ter para o papel. Assim como Demi Moore não combina com detetive, muito menos uma durona… ela não parecia estar confortável naquele papel e nas situações. A trama do filme é ótima, porém deixou a desejar com esses detalhes que fazem muita diferença.

“O homem que tem tudo, tem tudo a esconder.”

Nota: nota-8

  • Músicas e vídeos diversos:

Músicas favoritas do novo álbum da ~diva britânica~ Adele são: Hello e When We Were Young ❤️

Trailer que o namorado me apresentou na semana e me deixou curiosa/ansiosa e com esperança de um filme novo e legal de zumbis:

Descoberta de um canal maravilhoso para aprender e aperfeiçoar mais a língua inglesa: Londres na Latinha, onde a Melissa e seu lindo sotaque britânico explica e ensina em vídeos divertidos palavras, pronúncias, expressões, etc… É pra se apaixonar:

  • O que vocês estão assistindo e ouvindo nos últimos dias? Me contem e deixem suas indicações nos comentários! Beijos 😘 😘

Last Week Plays: It’s A Wonderful Life, High-Rise, +

Olá pessoal!

Primeiramente uma pequena explicação para esse post: o intuito é toda segunda-feira (ou no máximo terça) postar resenhas objetivas (aka não enroladas) das últimas coisas que assisti/ouvi/conheci na semana anterior. Aqui vai ter de tudo um pouco: filmes, séries, músicas, livros, vídeos, documentários, links aleatórios… Enfim, vai ter conteúdo bacana semanal pra gente interagir, sendo pra vocês conhecerem e acompanharem o que assisto, indicações, bate papo nos comentários e por aí vai 🙂

Então o “Last Week Plays” que nesse contexto significa os plays da semana passada vai ter entretenimento geral! 😀

  • Últimos filmes:
felicidade não se compra
Sinopse: “Em Bedford Falls, no Natal, George Bailey (James Stewart), que sempre ajudou a todos, pensa em se suicidar saltando de uma ponte em razão das maquinações de Henry Potter (Lionel Barrymore), o homem mais rico da região. Mas tantas pessoas oram por ele que Clarence (Henry Travers), um anjo que espera há 220 anos para ganhar assas, é mandado à Terra para tentar fazer George mudar de ideia, demonstrando sua importância através de flashbacks.”

Opinião/Críticas: Como estou tentando conhecer mais da história do cinema no geral, estou assistindo a filmes antigos, considerados clássicos obrigatórios para cinéfilos. Mais não faço isso pra passar imagem nem nada, faço porque sei das obras incríveis escondidas por trás de tantos anos e mesmisses atuais. Achei no geral que “It’s A Wonderful Life” é bem sincero e tocante, sensível até para quem se emociona facilmente. Pode parecer uma história boba e simples porém com uma tremenda importância e carregadas de sábios ensinamentos. O gênero é drama do ano de 1946.

Nota: nota 8

igh rise
Sinopse: “O longa adaptará o livro futurista de J. G. Ballard publicado em 1975, sobre uma sociedade estruturada numa torre gigantesca, projetada para isolar seus moradores do mundo exterior. Porém, o que era para ser o local perfeito para viver, uma guerra entre classes acontece, recriando um novo mundo governado pelas leis da selva.”

Opinião/Críticas: O filme em si é baseado em metáforas e filosofias de como os seres humanos reagiriam e sobreviveriam através de seus instintos, ou como diz na sinopse: pelas leis da selva. Os mais fortes e ricos sempre vão dominar pois mesmo na selva há os dominantes e isso já foi algo que não me cativou. Como eu sou uma pessoa que tenta sempre pensar pelo lado de fora da caixa (imaginária) eu iria recorrer a muitos outros recursos, não somente a sexo, drogas e luxuária que é simplesmente o que as pessoas fazem nos momentos de desespero do filme. O que posso dizer é que ele tenta passar uma forte crítica social, trazer o realismo para a tela… porém, não me convenceu. O gênero é drama do ano de 2016.

Nota: nota 4

PicMonkey Image
Sinopse: “Eilis, uma jovem mulher, se muda de uma pequena cidade da Irlanda para o Brooklin em Nova Yorque, lugar no qual ela se esforça para construir uma nova vida, encontrar trabalho e seu primeiro amor no processo. Quando uma tragédia familiar a leva de volta à Irlanda, ela vive um dilema terrível: uma escolha de partir o coração entre dois homens e dois países.”

Opiniões/Críticas: Com uma fotografia belíssima, o alto da moda dos anos 50, delicadeza do primeiro amor e uma pitada da simpatia irlandesa, faz desse filme uma graça para nossos olhos. Nós todas já fomos ou ainda teremos algo da Eilis, eu por exemplo me vi no lugar dela, quando ela se mudou pra tão longe e chorava sempre que ouvia notícias da família, o famoso “homesick” que pega muitos que deixam seu país. E notei que Eilis queria de todo coração alcançar seus sonhos, família e ter uma vida completa e feliz mesmo que pra isso ela tenha que dar as costas para o que poderia acontecer na Irlanda, ficando com sua mãe e se tornando algo que ela não queria. Mais quero dizer também que a química entre a atriz Saoirse Ronan (Eilis) e Domhnall Gleeson (Jim) funcionou muito bem, melhor até que com Tony (Emory Cohen).

Nota: nota 8

  • Músicas que ficaram no play/repeat:

  • Me contem o que vocês andam assistindo e ouvindo! Quem sabe rola umas indicações também… vamos usar os comentários do blog e participar das próximas postagens, pessoal 🙂 Aguardo vocês!

Beijos <3

 

Dicas de Filmes Alemães.

Olá, olá 😀

Primeiramente, vamos iniciar o post comemorando a vinda do frio: UHUUUL! E foi através desse clima maravilhoso que veio a inspiração do post, que faz a gente querer sim ficar no ócio, de pijama, cheio de cobertas, comidas delícias e o mais importante: assistindo filmes <3 Confesso que estou numa vibe de filmes europeus, sério, todos que estou assistindo estão fazendo valer a pena o play, e como alguns deles são da Alemanha eu decidi passar algumas dicas aqui, pra você que está afim de assistir algo diferente desse país em particular e em gêneros variados 🙂

  • Er Ist Wieder Da – Ele Está de Volta (2015)
376155
Sinopse: Adolf Hitler desperta no mesmo local em que ficava seu bunker há 70 anos, mas vira um fenômeno da mídia ao ser confundido com um comediante.

Filme de comédia alemão? Sim! E esse rendeu risadas, principalmente nos momentos em que Adolf começa a conhecer e ter real contato com a nossa tecnologia – tv, computador, internet, youtube – porém ele jamais consegue apagar o seu eu do passado. Ele ainda continua com a vontade de querer ganhar a guerra, se tornar o líder supremo e conquistar o mundo mais nos dias atuais as cinzas de tudo que ele fez ainda estão presentes na mente das pessoas.

  • Under Sandet – Terra de Minas (2015)
undersandetposter1
Sinopse: “Um grupo de jovens prisioneiros de guerra alemães são feitos os inimigos de uma nação, onde agora são obrigados a cavar 2 milhões de minas terrestres com as próprias mãos.”

Já quero adiantar aqui que a nacionalidade desse filme é metade alemã, metade dinamarquesa mais nem por isso quis deixar de colocá-lo nessa lista pois foi um filme que me tocou com uma história sensível, dramática e cheia de belas atuações. A situação da guerra, mesmo durante ou depois, sempre é tocante em filmes e nesse não foi diferente: garotos tendo seus braços destroçados, chamando por suas mães no meio de uma praia infestada de minas terrestres. Pra gente parar e refletir que tem todo tipo de “trabalho” nesse mundo né 🙁

  • Die Welle – A Onda (2008)
Sinopse: "Rainer Wegner, professor do ensino médio, deve ensinar seus alunos sobre autocracia. Devido ao desinteresse deles, propõe um experimento que explique na prática os mecanismos do fascismo e do poder. Wegner se denomina o líder daquele grupo, escolhe o lema - força pela disciplina - e dá ao movimento o nome de A Onda. Em pouco tempo os alunos começam a propagar o poder da unidade e ameaçar os outros. Mas é tarde demais, e A Onda já saiu de seu controle. Baseado em uma história real ocorrida na Califórnia em 1967."
Sinopse: “Rainer Wegner, professor do ensino médio, deve ensinar seus alunos sobre autocracia. Devido ao desinteresse deles, propõe um experimento que explique na prática os mecanismos do fascismo e do poder. Wegner se denomina o líder daquele grupo, escolhe o lema – força pela disciplina – e dá ao movimento o nome de A Onda. Em pouco tempo os alunos começam a propagar o poder da unidade e ameaçar os outros. Mas é tarde demais, e A Onda já saiu de seu controle. Baseado em uma história real ocorrida na Califórnia em 1967.”

Não seria indicação de filme alemão se faltasse A Onda, não é? Esse filme faz a gente passar por um mix de sentimentos, e no meu ponto de vista fez com que parasse pra pensar em como nós realmente somos influenciados a tanto na vida. Seja através dos nossos parentes, meios de comunicação, pessoas que nem conhecemos… A gente vive muito a partir da influência dos outros, não é? E quando essa influência te leva para um lado mais obscuro, te faz perder tanto da sua própria identidade, muitas vezes não tem retorno. É uma ótima pedida de filme para sala de aula, em séries que estão estudando esses assuntos em História, vai fazer todo mundo se colocar no lugar daqueles alunos.

Essas são minhas 3 indicações… E pra quem está estudando alemão e está querendo começar a ter mais certeza de pronúncias, palavras diferentes, algo que vá além dos livros a dica é: estudar através de filmes 😉

Estou pensando em fazer outras indicações, trazendo filmes de outros países e línguas… Comentem o que vocês acham desse tipo de post, pessoal!

Beijooos!

Este post foi escrito por: Débora Fernanda

Olá! Sou Débora Fernanda Gessner, tenho 24 anos, atualmente morando em Jaraguá do Sul, SC. Desde 2009 venho imaginando ter 7 vidas (felinas, de preferência) para poder falar sobre tudo que curto e que faz parte da minha personalidade.