Para a Débora de alguns anos atrás.

Isso se trata de uma carta, uma carta que eu gostaria de ter lido há muito tempo atrás. Quando eu achava que minha vida era terrível, que as pessoas não gostavam de mim e que eu olhava para o espelho e não aceitava meu próprio reflexo.

Querida Débora,

Vamos lá: sei que nesse exato momento você provavelmente está sentada em frente ao seu computador, com fones de ouvido, ouvindo Paramore e acreditando que a vida não está te dando as chances certas e que você não vai ser feliz. Já resumi alguns de seus anos em uma sentença, que não tem nem pé, nem cabeça.

Acalma teu coração, tudo vem com o tempo que vai.

Eu sei que você lê muito sobre isso: o tempo cura tudo. Mas você por um minuto consegue acreditar, quando eu te digo, com a maior sinceridade do meu coração: O tempo vai realmente trazer as coisas certas pra você?!

Sobre suas amizades: repense-as. Olhe com cuidado as pessoas que estão ao seu redor, aquelas que realmente te querem bem. Elas nem sempre estão do teu lado fisicamente mas o amor é real, mesmo de longe. Você deve abrir-se mais pra isso porque você é sim uma pessoa que merece amor, carinho e boas pessoas.

Não vou te falar sobre teus amores porque esses você terá que passar, acreditar, iludir-se e quebrar a cara e o coração diversas vezes – pois muitas vezes no amor a gente só aprende passando por aquilo e analisando como um todo após várias lágrimas e juras de que esse sentimento pode ser temporário. Não quer dizer que não é amor… apenas não é o amor de toda a sua vida. Só uma dica: algumas de suas desconfianças são verdadeiras, valorize-se e não acredite naquilo que seu instinto vai contra. Valorize sua opinião, seu ponto de vista e suas vontades.

Eu sei que sua atividade favorita é escrever mas que você tem vergonha de assumir isso para o mundo, mas não deixe de acreditar nessa ferramenta que te traz alegria. Continue com seus diários e seus sonhos, mantenha-se apaixonada e confiante… mesmo que muitas vezes tua maior companheira é a solidão.

Eu aqui, no futuro, já certa de muita coisa (mas não tanto assim) fico imaginando como seria se alguém mais experiente tivesse me aconselhado, se eu tivesse aprendido a dizer não quando eu realmente queria e que não deixasse meu coração se despedaçar por tão pouco… fico sonhando. Mas Débora, as coisas vão se resolver. Essa dor no teu peito não é para sempre. As mentiras de todos os caras bestas que você acreditou não vão te assombrar no futuro, porque isso vai te transformar em uma mulher que batalha, conquista e que sorri nas adversidades.

No meio de toda a confusão, aproveite a escola, os amigos, as provas, trabalhos e festas. Não deixe de acreditar em você mesma. Mergulhe nas novas experiências. Abrace mais, ria mais, beije mais, se permita sentir tudo.

O teu futuro é lindo, acredite.

❤️

Este post foi escrito por: Débora Fernanda

Olá! Sou Débora Fernanda Gessner, tenho 24 anos, atualmente morando em Jaraguá do Sul, SC. Desde 2009 venho imaginando ter 7 vidas (felinas, de preferência) para poder falar sobre tudo que curto e que faz parte da minha personalidade.

Comments

8 comentários sobre “Para a Débora de alguns anos atrás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *